Dúvidas frequentes

1. Afinal, o que é o Escotismo?

A definição formal do Escotismo é a seguinte:
“É um movimento educacional de jovens, sem vínculo a partidos políticos, voluntário, que conta com a colaboração de adultos, e valoriza a participação de pessoas de todas as origens sociais, etnias e credos, de acordo com seu Propósito, seus Princípios e o Método Escoteiro, concebidos pelo Fundador Baden-Powell e adotados pela União dos Escoteiros do Brasil.” (POR/2013)
Todos já ouviram falar dos escoteiros, mas o escotismo como movimento de formação dos jovens, na realidade, ainda é pouco conhecido.

2. Qual é o objetivo deste movimento educacional?

“O propósito do Movimento Escoteiro é contribuir para que os jovens assumam seu próprio desenvolvimento, especialmente do caráter, ajudando-os a realizar suas plenas potencialidades físicas, intelectuais, sociais, afetivas e espirituais, como cidadãos responsáveis, participantes e úteis em suas comunidades, conforme definido pelo seu Projeto Educativo.” (POR/2013)

3. Quais são os princípios do Escotismo?

O princípio escoteiro está apoiado na Promessa que inclui a Lei Escoteira e a aceitação voluntária por toda e qualquer pessoa que ingressa no Movimento. É através da promessa voluntária e do “fazer o melhor possível”, que um código de honra baseia e estimula a honradez, a lealdade, a amizade, a cordialidade, a bondade, a alegria, a disciplina, a economia e a limpeza do indivíduo.

4. Em que se baseia este método educacional?

O Escotismo está baseado em um sistema de autoeducação progressiva por meio do Método Escoteiro, caracterizado por um conjunto de cinco pontos, com aplicação eficazmente planejada: 
a) Aceitação da Promessa e da Lei Escoteira;
b) Aprender Fazendo – educação pela ação;
c) Vida em equipe – denominada nas Tropas de “Sistemas de Patrulhas”;
d) Atividades progressivas, atraentes e variadas;
e) Desenvolvimento pessoal com orientação individual.

5. Escotismo é recreação?

Sim e não. Na verdade é muito mais do que simples recreação. É diversão com objetivos educacionais.

6. Que atividades os escoteiros fazem?

- Atividades em sede: onde os escoteiros aprendem jogos, habilidades e técnicas escoteiras (amarras, nós, fazer uma fogueira, etc.), cerimônias, canções e se preparam para as excursões, acampamentos e outras aventuras.

- Excursões: onde os escoteiros podem visitar museus, exposições, alguma outra cidade, um outro Grupo Escoteiro, etc.

- Acampamentos: ocorrendo em áreas ou propriedades rurais normalmente (chácara, fazenda), onde se coloca em prática tudo aquilo que se aprende em sede, como armar uma barraca, cozinhar sua própria comida, montar pioneirias (construções feitas de madeira e amarrações), participar de jogos, de atividades noturnas, de um Fogo de Conselho e de muitas outras coisas.

- Atividades comunitárias: onde ajudamos aqueles que precisam, seja reformando uma escola, recuperando as cadeiras de rodas de um hospital público, fazendo campanhas para arrecadar donativos para famílias carentes ou campanha do agasalho, participando de campanhas públicas para promoção da saúde e bem estar da sociedade, visitando um asilo para levar um pouco de alegria aos velhinhos, entre outros.

- Jornadas: são atividades de deslocamento, a pé ou de bicicleta, normalmente por caminhos pouco visitados, como uma trilha na mata ou cruzando fazendas, desenvolvendo atividades de orientação, de observação, de construção de mapas e de conhecimento da natureza.

- Jamborees mundiais, pan-americanos e nacionais: são grandes acampamentos que ocorrem de maneira periódica (normalmente a cada 4 anos) onde escoteiros se reúnem para realizar diversas atividades.

- Mutirões Nacionais Escoteiros, onde são desenvolvidas atividades comunitárias.

- JOTI e JOTA, os Jamborees na Internet e no Ar, que ocorre em um final de semana por ano onde escoteiros de todo o mundo se encontram através da Internet e do Radioamador.

7. Desde quando existem os escoteiros?

O movimento escoteiro existe desde 1907, tendo sido fundado na Inglaterra e hoje está presente em mais de 220 países. É o maior movimento de juventude do mundo, com 40 milhões de membros, dos quais 7 milhões são adultos voluntários. No Brasil chegou em 1910 e atualmente aproximadamente 80 mil pessoas praticam o escotismo, sendo que 20 mil são adultos voluntários.

8. Escoteiros são militares?

Não. O Movimento Escoteiro foi fundado pelo ex-general Robert Baden-Powell, após ele afastar-se do exército na Inglaterra. Apesar de militar, o inglês não quis deixar como herança para o Movimento Escoteiro essas características, mas aproveitou técnicas que seriam úteis no desenvolvimento dos jovens para criar um movimento educacional. Portanto, não existe nenhum vínculo entre o movimento e qualquer força armada. O Movimento não é uma força para-militar ou pré-militar, não preparamos os jovens para seguir carreira militar. Alguns grupos escoteiros realizam suas atividades em batalhões das forças armadas, mas o envolvimento se limita apenas ao local de atividade.

9. O Escotismo está ligado a alguma religião específica?

Não. Podem participar do movimento escoteiro pessoas de todos os credos, sem qualquer distinção e todos são estimulados a cumprir os preceitos de sua religião ou a buscar um sentido espiritual para sua vida. A prática do Escotismo inclui o cumprimento dos deveres para com Deus e cada participante o faz de acordo com os ditames de sua fé.

10. Quem pode participar?

Escotismo é aberto a todos, sem discriminação de raça, credo, origem, condição social, física ou mental.

11. A partir de que idade se entra no grupo?

A partir dos 7 anos até os 21 anos incompletos. Se a criança já está em processo de alfabetização a entrada é admissível com 6 anos e meio.
Os jovens dentro do movimento escoteiro no Brasil estão organizados em ramos de acordo com as faixas etárias:
a) Ramo Lobinho, para meninos e meninas de 6 anos e meio (desde que alfabetizados) a 10 anos, denominados Lobinhos (meninos) ou Lobinhas (meninas).
b) Ramo Escoteiro, para rapazes e moças de 11 a 14 anos, denominados Escoteiros (rapazes) e Escoteiras (moças).
c) Ramo Sênior, para rapazes e moças de 15 a 17 anos, denominados Seniores (rapazes) e Guias (moças).
d) Ramo Pioneiro, para rapazes e moças de 18 a 21 anos (incompletos), denominados Pioneiros (rapazes) e Pioneiras (moças).
Além de fazerem atividades em conjunto e compatíveis ao ramo/faixa etária ao qual pertencem, os jovens também eventualmente fazem atividades com os demais ramos, sempre respeitando as características psicofísicas de cada um.

12. Só meninos/rapazes podem ser escoteiros?

Não. As meninas/moças também podem participar. As seções (alcateia, tropa ou clã) aos quais os jovens pertencem podem ser mistas (meninos e meninas, rapazes e moças) ou de um sexo apenas.

13. Os Escoteiros ajudam a comunidade?

Os escoteiros participam atendendo necessidades reais. Os escoteiros são envolvidos em um número vasto de assuntos que encontram nas comunidades onde vivem. Escoteiros trabalham com outros grupos da comunidade para alcançar objetivos mútuos. Eles trabalham com amigos, outras ONGs, líderes de comunidade e outras organizações. Muitos trabalham em projetos de cooperação bilateral entre escoteiros e comunidades específicas, grandes empresas e projetos especiais. Este aspecto do escotismo desenvolve uma cidadania atuante e responsável.

14. Colocar meu filho não compromete seu tempo de estudo?

As atividades escoteiras não interrompem de modo algum suas atividades habituais (escola, lazer, etc.), na verdade as atividades desenvolvem-se principalmente nas horas livres do jovem. O movimento escoteiro é uma ferramenta educacional extraescolar de auxílio e formação, sendo que os estudos do jovem jamais devem ficar em segundo plano.

15. Escotismo pode interferir nos estudos?

O Escotismo é uma pratica para as horas livres do jovem, portanto não deve interferir em seu dia-a-dia acadêmico. Porém, a dedicação aos estudos é uma obrigação do escoteiro e o grupo incentiva o jovem a ter um bom desempenho escolar. Em situações de dificuldade escolar, o jovem, os pais e os escotistas em conjunto buscam estratégias para que o jovem seja capaz de definir suas prioridades.

16. Os adultos podem participar?

Claro que sim! O direcionamento do movimento é para os jovens, mas os adultos são imprescindíveis na aplicação do programa escoteiro. Os adultos também se beneficiam à medida que têm uma chance de, voluntariamente, ajudarem crianças e jovens. Um modo para melhorar a compreensão entre gerações, adquirir novos conhecimentos e experiências que, certamente, somam muito ao desenvolvimento pessoal de cada um. O ingresso, bem como a permanência no Movimento é inteiramente voluntária. Os pais também podem participar das atividades acompanhando passeios ou auxiliando como instrutores de assuntos que dominem.

17. Quem custeia o Escotismo?

Os Grupos Escoteiros têm diversas formas de custeio. Recebe doações de empresas ou entidades patrocinadoras ou, na ausência delas, recolhe contribuições dos pais na forma de mensalidades. É uma contribuição nada proibitiva uma vez que é destinada apenas para a compra de materiais de uso nas atividades e demais gastos operacionais. O material individual é de responsabilidade de cada membro, mas os materiais de uso coletivo, barracas, equipamentos de segurança, primeiros socorros, etc. são de responsabilidade do grupo, sendo adquiridos através das receitas do grupo. Quando são feitas atividades fora da sede (acampamentos, excursões, etc.), principalmente quando envolvem custos de alimentação ou transporte, os custos são rateados entre os participantes.

18. Meu filho é obrigado a participar dos acampamentos?

Não, nenhuma atividade escoteira é obrigatória. A participação do jovem em qualquer atividade e sua presença no grupo deve ser de vontade do próprio jovem. Porém, o apoio dos pais e a assiduidade nas atividades no grupo são fundamentais para o pleno desenvolvimento do jovem.

19. Quais são os dias e horários das atividades escoteiras?

Geralmente as atividades escoteiras ocorrem aos finais de semana na sede do grupo escoteiro. No grupo escoteiro Lobo-Guará as atividades para todos os ramos ocorrem normalmente aos sábados, das 14:30 as 17:00. Algumas atividades como acampamentos, acantonamentos, participação em campanhas, visita a outros grupos escoteiros, etc. podem ocorrer em outros dias e horários da semana e são devidamente informados com antecedência.

20. Existe algum grupo escoteiro próximo a minha residência?

Pesquise no seguinte link: http://www.escoteiros.org.br/visitante/

21. Existe remuneração para o adulto que participa do grupo escoteiro?

Não. Dentro do grupo escoteiro todos os adultos exercem um serviço voluntário, não existindo qualquer tipo de remuneração ou qualquer forma de vínculo empregatício. No Brasil poucos profissionais são contratados para prestar serviços com uma rotina diária de trabalho, carteira assinada, recebendo salário, como os diretores nacionais, administradores, escritórios de contabilidade, etc.

22. Sou adulto e nunca fui escoteiro, posso participar?

Claro que sim! Qualquer pessoa interessada poderá vir a integrar o grupo. Basta ir até o grupo escoteiro e bater um papo com a diretoria. Mesmo que você não saiba nada ou muito pouco sobre o escotismo, você poderá participar de cursos oferecidos e terá a assessoria da equipe de formação de adultos.

23. Existe diferença entre escoteiro, bandeirante e desbravador?

Sim.
a) O escotismo foi idealizado por Baden-Powell, o primeiro e o mais difundido destes movimentos no Brasil e, na época, pensado apenas para jovens rapazes (sexo masculino). Não é político partidário e é laico.
b) O bandeirantismo foi igualmente idealizado Baden-Powell pensando em atender as meninas e moças interessadas em escotismo e que, por razões sociais da época, não poderiam praticá-lo junto com os rapazes. Este movimento foi atendido por Agnes Baden-Powell (irmã de Baden-Powell). Hoje é praticado por meninos e meninas, rapazes e moças.
c) Os desbravadores foram idealizados por missionários voluntários da Igreja Adventista do 7º Dia em 1921, também para jovens e o lema é “O amor de Cristo me motiva. É o amor de Cristo que me motiva a ser uma pessoa melhor, e também ajudar meus amigos para isso.”

Caso ainda tenha alguma dúvida, não deixe de entrar em 

contato para esclarecê-la! Estamos sempre alerta para servir! 


Coloborou: Chefe Giovanni Pellizzer